Arquivo mensal: novembro 2018

O que sabe sobre a saúde oral do seu melhor amigo?

campanha odonto

Você sabia que, em se tratando de saúde oral do seu cão ou gato, você ainda tem muito para aprender?

Cães e gatos apresentam uma dentição de leite e uma definitiva, como nós:

  • Cães possuem 28 dentes de leite e 42 quando adultos
  • Gatos possuem 26 dentes quando filhote e 30 quando adultos

Nas raças de pequeno porte é comum que dentes de leite não caiam e fiquem retidos na boca, causando infecções precoces, ferimentos e má oclusão dentária. Se notar um dente retido, leve-o ao dentista veterinário.

A doença mais comum dos cães e gatos chama-se doença periodontal. Ela acomete 80% dos pets acima da idade de 4 anos. Ela é causada pelas bactérias que se desenvolvem no tártaro depositado nos dentes dos cães causando primeiramente gengivite, mau hálito e depois evoluindo para infecções graves que podem causar retração gengival, perda óssea, mobilidade dentária, sangramento gengival, dor, infecção óssea e nasal. Há casos mais graves que podem evoluir para endocardite bacteriana, infecções renais, artrites, septicemia e até morte. È muito importante que você cuide da saúde oral do seu cão ou gato assim como cuida da sua, de forma preventiva, através de higienização rotineira em casa e com visitas periódicas ao dentista veterinário.

Como identificar se há algo errado?

  • Mau hálito
  • Gengivas avermelhadas, inchadas e/ou com sangramento
  • Raizes dentárias aparentes
  • Pet refuga ao receber carinho no focinho
  • Perda de peso e dificuldade em comer ração seca
  • Mastigação em apenas um lado da boca
  • Pet bate o queixo rapidamente, repetidas vezes
  • Mudanças comportamentais e de temperamento (mais ranzinza ou agressivo)
  • Pet esfrega o focinho frequentemente
  • Salivação intensa

Você deve levar seu pet ao dentista veterinário uma vez ao ano para uma consulta odontológica e acompanhamento da saúde bucal. Este cuidado é tão importante para a sua saúde geral e longevidade quanto fazer as vacinas e as vermifugações anuais rotineiras!

O que você pode fazer preventivamente?

A forma mais eficaz de evitar o excesso de formação de tártaro que causará a doença periodontal é evitando o seu início, agindo preventivamente, enquanto existe somente a placa bacteriana na superfície dos dentes, antes que ela comece a receber cálcio da saliva e comece a formar o tártaro.

Nenhum método de prevenção se provou tão eficiente quanto a escovação dentária. Através das cerdas da escova há uma força mecânica de fricção na superfície dos dentes, removendo a placa bacteriana e evitando sua transformação em tártaro. Nenhum método químico, enzimático ou qualquer antisséptico se mostrou tão eficaz. Concluindo: você deve SIM escovar os dentes do seu pet e a frequência ideal é uma vez ao dia.

Marque uma visita com o dentista veterinário para aprender como cuidar melhor dos dentes do seu pet e receber um treinamento de como acostumá-lo a aceitar escovar os dentes frequentemente.

Além da doença periodontal, queremos também chamar sua atenção para cães e gatos que apresentam dentes quebrados na boca. Há várias razões para que isso possa ocorrer, mas nosso objetivo que você saiba que dentes que tem a polpa dentária exposta (a parte interna, viva do dente) não podem ficar sem tratamento adequado. Algumas vezes as fraturas provocam sangramento e dor, mas em outras (se a polpa morrer) o cão ou gato pode não demonstrar sinais de dor, mas precisam ser tratados mesmo assim. A polpa exposta permite entrada das bactérias que estão na boca e iniciam uma pulpite bacteriana que é um foco infeccioso que poderá evoluir até atingir o osso da face (abscessos dentários e osteomielite), causar fraturas patológicas (em mandíbulas de cães de pequeno porte), provocar sinusites e infecções nasais e até mesmo, em casos crônicos pré dispor o aparecimento de tumores orais.

Cuide da saúde oral do seu pet, ela está intimamente ligada à uma vida saudável e longeva.

Dra. Cláudia Youle – especialista em odontologia veterinária – Vet Care

Anúncios