Arquivo mensal: julho 2019

A Reabilitação animal na prevenção de dores articulares em cães idosos

foto reab

Com o aumento da expectativa de vida dos animais, torna-se de suma importância a prevenção de doenças, para que esses animais vivam com qualidade, livre de dores e desconfortos.

Com a chegada do inverno e o aumento dos casos de pacientes idosos, atendemos diversos pacientes com alterações osteoarticulares, que demonstram queda na mobilidade e aumento de dores nesse período. O controle dessa dor e o alivio do sofrimento desses pacientes devem ser promovidos rapidamente para que a dor aguda não se torne crônica. A falha nesse controle promove impacto importante na qualidade de vida e em todo o restante do possível tratamento.

Nos casos de Osteoartrose, a dor se apresenta de forma secundária e crônica, demonstrando aumento dos sinais quando é agudizada por fatores externos. A osteoartrose é uma doença degenerativa multifatorial que acomete cães e gatos, causada por deformidades anatômicas, degradação das cartilagens articulares, alterações ósseas e dos tecidos moles adjacentes. A dor nesses casos tem sua intensidade de acordo com a fase aonde a doença é diagnosticada, sendo de intensidade moderada a grave. A fase em que o tratamento é iniciado influencia diretamente na qualidade de vida do animal. O tratamento deve ser uma combinação de analgesia, aumento da mobilidade e funcionalidade do paciente, e manutenção da qualidade de vida. Para o controle da dor deve ser feita uma associação entre medicamentos, redução de peso em animais obesos e a reabilitação que inclui modalidades como ultrassom terapêutico, eletroterapia, laserterapia, magnetoterapia, exercícios (cinesioterapia) e ozonioterapia.

Alguns dos principais medicamentos utilizados no tratamento são os anti-inflamatórios não esteroidais que reduzem a inflamação articular, porém devem ser usados com cautela em animais idosos e que já apresentem alterações em rim e fígado; opióides para dores moderadas e intensas, que possuem menor efeito colateral e podem ser utilizados em pacientes idosos e com comorbidades; e os Nutracêuticos que, devido aos mínimos efeitos adversos, vem sendo cada vez mais utilizados nas doenças osteoarticulares, principalmente para prevenção e controle.

Alguns dos nutracêuticos mais utilizados são o Ômega 3 e os condroprotetores. A suplementação com ômega 3 modula a resposta inflamatória diminuindo a síntese de potentes mediadores da inflamação. Estudos comprovam que a utilização de ômega 3 na suplementação das dietas promove uma maior mobilidade dos animais, melhora o controle da dor reduzindo assim a dose diária de anti-inflamatórios e melhora a disposição dos pacientes no dia a dia. Os condroprotores como condroitina, glucosamina e colágenos do tipo II (UC-II) melhoram a síntese de precursores da cartilagem modulando assim a inflamação e ajudando na prevenção da degradação dessa cartilagem.

Ao menor sinal de desconforto ou falta de mobilidade do seu animalzinho, não deixe de agendar uma avaliação com o Setor de Ortopedia e Reabilitação para que a prevenção e o tratamento sejam instituidos rapidamente, possibilitando uma vida plena e longa ao seu cãozinho ou gatinho.

Dra. Flávia Melo – fisioterapia e reabilitação animal

Anúncios