Arquivo mensal: setembro 2019

VOCÊ JÁ OUVIR FALAR EM ‘BICHO GEOGRÁFICO’ OU LARVA MIGRANS?

             A larva migrans cutânea, conhecida popularmente por ‘bicho geográfico’, é uma infecção que acomete o homem e acontece no mundo todo, causada por larvas de parasitas que vivem nos intestinos de cães e gatos, como os helmintos Ancylostoma braziliense ou Ancylostoma caninum.

Como pode ser transmitida?

Tudo se inicia quando os animais infectados por helmintos (vermes intestinais), eliminam os ovos do parasita nas fezes e estas entram em contato com solo quente e úmido, que é um ambiente ótimo para evolução dos ovos. Estes, eclodem e liberam as larvas que no solo vão se alimentando de bactérias até atingirem a fase evolutiva ou a chamada fase infecciosa, e podem sobreviver no ambiente por até 4 semanas em condições favoráveis.

A contaminação do homem se dá quando há contato da pele sem proteção com o solo contaminado com as larvas, habitualmente quando estamos descalços. Por isso, as praias, principalmente aquelas onde há fezes de cães e gatos na areia, são locais propícios para conterem larvas de helmintos. As regiões da areia onde há sombra, mas não há contato com a água do mar, são os melhores pontos para o desenvolvimento das larvas. Outro local comum de contaminação são as caixas de areia ao ar livre onde as crianças brincam (parquinhos). Gatos costumam procurar locais com terra ou areia para enterrar suas fezes, podendo facilmente contaminar estas áreas.

   Cerca de 75% dos casos de contaminação com larvas de parasitas que provocam a larva migrans ocorrem nos membros inferiores, principalmente nos pés. Nas crianças que brincam sentadas em caixas de areia ou na praia, os glúteos e as coxas são habitualmente acometidos.

Como são os sintomas?

Em nós humanos:

O momento da penetração geralmente se passa despercebido, e em alguns pacientes é possível ver a presença de uma pápula (um pontinho avermelhado com relevo de mais ou menos 0,5 a 1,0cm) e coceira. Cada larva que infecta,  origina um túnel, que são discretamente elevados, serpiginosos e provocam muita coceira. Os túneis avançam cerca de 2 cm a 5 cm por dia e podem formar desenhos caprichosos.

Nos cães e gatos:

Cães e gatos quando parasitados pelo verme, podem apresentar sintomas inespecíficos como: retardo no desenvolvimento (quando filhotes), anemia, emagrecimento, vômitos, abdômen abaulado, dor abdominal e diarreias.

Como podemos prevenir?

Cães e gatos devem ser rotineiramente vermifugados, pois são os principais transmissores da doença. Então, não deixe de levar seu animal no médico veterinário de confiança anualmente para que sejam realizados exames e, instituído o protocolo de vermifugação.

Em humanos, algumas medidas preventivas são de extrema importância como:

  • Conscientizar a população sobre a importância da posse responsável, ou seja, não deixar o animal solto na rua, vacinar e vermífuga-los adequedamente.
  • Recolher imediatamente as fezes dos animais, principalmente em áreas de lazer de crianças e praias – como falamos ontem, atualmente a Prefeitura do Rio de Janeiro, liberou o acesso dos animais às nossas praias, então vamos cuidar da nossa cidade e fazer a nossa parte!
  • Evitar o acesso de animais de rua nos tanques de areia e áreas de lazer, colocando telas ao redor destes e cobrindo os tanques de areia com plástico resistente ou lona, principalmente à noite.
  • Realizar avaliação parasitológica de areia antes de colocar para uso em tanques e depois periodicamente, pelo menos de seis em seis meses. Trocar as areias do tanque sempre que apresentarem parasitas viáveis, principalmente os de importância em saúde pública.
  • Reforçar o uso de calçados nas áreas de maior propensão a contamição.
  • Reforçar o programa de educação sobre higiene para as crianças.

   A educação que desejamos para nosso país, começa sempre dentro de cada um de nós! Então faça a sua parte! Vamos aproveitar nossas praias e ambientes públicos com nossos peludos, mas sempre com educação e consciência. 😉

Dra.Gabriela Vieira – Clinica Geral e Especialista em Medicina Felina.

Anúncios

cao farejador

Você já deve ter percebido como seu cachorro fareja tudo quando passeia, né? Ou quando você chega em casa, só de cheirar a sua roupa ele logo sabe se você brincou com outro cãozinho na rua! Enquanto que em seres humanos a visão é o sentido mais importante, no caso dos cães é através do olfato que eles exploram o mundo.

E vocês já perceberam como o focinho deles fica molhado? O nariz molhado permite que ele capture diversos odores através do vento.  Além disso, as narinas trabalham de forma separada: enquanto uma está ocupada identificando o cheiro, a outra tenta localizar de onde ele vem. Os cães tem 300 milhões de células receptoras olfativas, enquanto que nós seres humanos temos 5 milhões e, por isso, eles sentem cheiro há quilômetros de distância! E a diferença com os seres humanos não para por aí. Para armazenar todas as informações que chegam do focinho, o cérebro deles  reserva um espaço 40% maior do que o nosso.

O cachorro ainda possui um órgão chamado de vomeronasal, que se localiza na região do palato duro (céu da boca) e consegue identificar os hormônios que outros animais liberam através do cheiro e, com isso, saber com quem eles devem acasalar. Outra função surpreendente é o fato deles conseguirem identificar o nosso cheiro em locais que já passamos e para onde fomos. É dessa forma que muitos cachorros policiais conseguem encontrar e perseguir pessoas mesmo dentro da mata fechada.

E por aí, seu cãozinho também é daqueles que cheiram tudo o que vêem pela frente? Conta para a gente aí nos comentários!